Comunicado

Nota conjunta com atualização de posicionamento sobre a COVID-19 e os tratamentos de reprodução assistida

Informações complementares à nota emitida em 21 de março de 2020

A Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA e a Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA, acompanhando as demais sociedades mundiais e face à presença da pandemia de Covid-19, emitiram comunicado em 17 e 21 de março de 2020. Globalmente, e na América Latina não foi diferente, ciclos iniciados foram completados, decisões de congelamento tomadas, transferências discutidas e, na maioria das vezes, postergadas. Desde o início, entendemos que poderiam haver situações a serem individualizadas, como os casos oncológicos, em que pacientes necessitariam com urgência da preservação de seus gametas previamente a procedimentos cirúrgicos ou eventual quimioterapia que pudesse afetar sua fertilidade futura. Ao mesmo tempo, havia outros casos susceptíveis de individualização.

Passados 30 dias, com novos dados sobre a Covid-19, reconhecendo novos cenários para diferentes países, regiões ou cidades, além da realidade de um período claro de extensão da pandemia, que a infertilidade é definida pela OMS como doença, assim como a própria OMS define o direito de autonomia dos pacientes e:

CONSIDERANDO que, sob a luz de novas evidências científicas, este posicionamento deverá seguir sendo atualizado em momentos sucessivos;

CONSIDERANDO que, segundo a literatura médica, não se identificou até o momento a presença de vírus nos gametas e tratos genitais masculino ou feminino;

CONSIDERANDO que, até o momento, não há evidências a respeito das repercussões do Covid-19 sobre a gestação inicial;

CONSIDERANDO a preocupação com relação às evidências científicas emergentes quanto à possibilidade de transmissão vertical – isto é, da mãe para o bebê;

CONSIDERANDO que os serviços de reprodução assistida devam seguir as recomendações governamentais, respeitando as particularidades locais;

CONSIDERANDO a observação das medidas de distanciamento social, com cuidados na preservação dos pacientes e equipes, quando da assistência;

CONSIDERANDO as condutas para mitigar a sobrecarga do sistema de saúde local;

CONSIDERANDO que o adiamento dos tratamentos de reprodução assistida abrange determinados casos extremamente sensíveis ao tempo e, portanto, inadiáveis, com risco de condenar pessoas a uma infertilidade irreversível – ou seja, esterilidade; e

CONSIDERANDO o respeito à autonomia do paciente,

RECOMENDAM que ciclos de reprodução assistida possam ser realizados sob juízo do profissional assistente, em decisão compartilhada com os usuários do serviço, de forma personalizada, fundamentados e bem documentados, com precaução e bom-senso, evitando-se transferências embrionárias neste momento.

Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida – SBRA
Red Latinoamericana de Reproducción Asistida – REDLARA


Referências
Período fértil: o que é e como calcular para aumentar as chances de gravidez?

Período fértil: o que é e como calcular para aumentar as chances de gravidez?

Por Dra. Rosane Rodrigues 19/01/2021

É sempre importante conhecer seu próprio corpo, pois isso torna mais fácil identificar problemas que merecem atenção e saber quando está em seu período fértil. Se você deseja engravidar, é muito importante saber que só há um período do ciclo menstrual em que isso pode ocorrer: a ovulação.

Muitas mulheres não sabem identificar quando estão mais propensas à fecundação, mesmo quando estão tentando engravidar. Além disso, muitas também não sabem que podem engravidar apenas próximo da ovulação, assim como não conhecem a duração do ciclo menstrual.

Acompanhe e saiba o que é e como você pode calcular o seu período fértil para aumentar as suas chances de engravidar.

O que é período fértil?

O período fértil é o momento que ocorre a ovulação, ou seja, o corpo libera o óvulo para ser fecundado. Durante esse período, o organismo estará preparado para engravidar. Para que isso aconteça, o sistema endócrino – os hormônios – agem em cada uma das etapas do ciclo.

Durante a ovulação especificamente, a mulher experimenta algumas mudanças no corpo:

  • aumento da secreção vaginal (muco cervical): o muco do colo uterino aparece como um corrimento transparente e sem odor, semelhante à clara de ovo. Ela serve para facilitar a passagem dos espermatozoides;
  • aumento do desejo sexual: um maior nível de estrogênio no corpo provoca o aumento da libido;
  • dor na região pélvica: com a liberação do óvulo, pode ocorrer um leve desconforto no baixo ventre — majoritariamente unilateral, onde houve a ruptura do folículo;
  • aumento de, em média, meio grau na temperatura corporal;
  • percepção positiva de si mesma (mais bonita e atraente).

O período fértil acontece antes ou depois da menstruação?

O período fértil acontece depois da menstruação, já que a menstruação é a eliminação de parte do endométrio (parede uterina interna que se torna mais espessa durante o ciclo menstrual) e considerada a primeira etapa do ciclo menstrual.

O ciclo menstrual é um processo que dura, em média, 28 dias, embora possa variar de uma mulher para outra, e envolve a secreção alternada de quatro hormônios: a progesterona, o estrogênio, o hormônio luteinizante (LH) e o hormônio folículo-estimulante (FSH). Ele se divide em 3 fases:

  • folicular: ocorre durante os 13 primeiros dias antes da liberação do óvulo. É no início dessa fase que o endométrio é eliminado, dando início à menstruação. Depois disso, os folículos começam a se desenvolver para que um libere o óvulo;
  • ovulatória: é o 14º dia, quando ocorre a liberação do óvulo. Aqui, acontece um aumento da concentração de LH e FSH. O primeiro estimula a ovulação, que costuma ocorrer de 16 a 32 horas após o início do pico. A quantidade de estrogênio e progesterona também começa a aumentar. O óvulo fica na tuba uterina, geralmente, de 24 a 36 horas;
  • lútea: depois do período fértil. Nesse tempo, a concentração de LH e FSH diminui. O folículo que liberou o óvulo se fecha e se transforma em corpo-lúteo, que produz progesterona. Nessa fase, o nível alto de estrogênio permanece, já que ele e a progesterona deixam o revestimento interno do útero mais espesso, preparado para uma provável implantação (fixação do embrião no endométrio).

Caso a fecundação não ocorra, o corpo-lúteo para de produzir progesterona e é absorvido pelo organismo, assim como o óvulo, o nível de estrogênio diminui e o endométrio descama (se desprende do útero), dando início novamente à menstruação.

O período fértil acontece geralmente na metade do ciclo, portanto o dia exato depende da duração do ciclo. É também muito importante considerar que o espermatozoide pode sobreviver no organismo feminino por cerca de 3 dias após a relação sexual. Assim, o período fértil geralmente é uma janela de 5 dias.

Como calcular o período fértil?

É mais fácil calcular seu período fértil quando o seu ciclo menstrual é regular. Se você costuma menstruar em uma janela de tempo constante (por exemplo, a cada 28 ou 30 dias), conte 11 dias a partir do primeiro dia da menstruação, por isso é importante anotar o primeiro dia da menstruação. Do 11º ao 15º dia, você estará no período fértil.

Um ciclo menstrual que dure mais, ou menos, que 28 dias também pode ser saudável, contanto que tenha regularidade. Ciclos muito irregulares merecem uma atenção especial, pois podem ser sinal de síndrome dos ovários policísticos (SOP), endometriose ou de outros tipos de doença.

No entanto, o importante é que você conheça seu corpo para observar as alterações que possam ocorrer.

Mulheres que tomam anticoncepcional têm período fértil?

Quem utiliza anticoncepcional não tem período fértil, a não ser que interrompa o uso do medicamento. Se também não houver regularidade (por exemplo, tomar a pílula em um dia e não no outro) e a mulher tiver relações sexuais sem o uso de outro método contraceptivo, ela pode engravidar.

Entendeu como é importante conhecer seu ciclo menstrual? Ainda tem dúvidas sobre o assunto? Veja mais sobre como calcular seu período fértil!

0 0 votes
Article Rating
Deixe o seu comentário:
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Posts Anteriores:
Reprodução assistida: como uma pessoa solteira pode ter filhos?

No Brasil, desde 2013 as técnicas de reprodução assistida são extensivas a pessoas solteiras que […]

Continue lendo
Tentantes: 3 dicas importantes para engravidar

A gravidez é um processo complexo e para que ocorra o sistema reprodutor feminino deve […]

Continue lendo
Correção de varicocele: como é feita?

Definida como um ano de relação sexual desprotegida, com atividade regular e sem concepção, a […]

Continue lendo
Avaliação da reserva ovariana: o que é e como é feita?

Os ovários são as glândulas sexuais da mulher e assim como o útero, tubas uterinas, […]

Continue lendo
Barriga de aluguel: o que é e como é realizada na FIV?

O termo barriga de aluguel é popularmente conhecido e se tornou, inclusive, novela no Brasil. […]

Continue lendo
Tratamento da endometriose: como é feito e possibilidades

O sistema reprodutor feminino é formado pelos ovários, tubas uterinas, útero e vagina, sendo o […]

Continue lendo
Congelamento de embriões: saiba mais sobre a técnica

O embrião pode ser definido como o estágio inicial de desenvolvimento de um ser humano. […]

Continue lendo
Blastocisto: o que é?

Para que a gravidez ocorra, a cada mês os ovários liberam um óvulo, capturado pelas […]

Continue lendo
Endometriose: é possível engravidar com a doença?

A endometriose é uma doença crônica e inflamatória, que na maioria dos casos afeta as […]

Continue lendo
Ver todos os posts